Essas coisas, logo aí embaixo... Palavras ditadas por um Ghost Writer.

4 de mai de 2013

A grande lição no Jornalismo foi filosófica


tudo começou - "há um tempo atrás, na ilha do Sol..." Não!! - com uma consideração importante num papo internético: duvidar da "verdade" como algo absoluto foi o que de mais importante/relevante aprendi na faculdade de Jornalismo - e olha qu'aprendi isso lááá no 1º semestre, em 2006.

isso tem a ver com as discussões sobre "verdade jornalística (ou verdade de um fato)" e "imparcialidade". ambas são inatingíveis - a verdade que a gente alcança é, no máximo, uma reunião de representações e interpretações da "Verdade", que tá além dos nossos sentidos/percepções - e, mesmo assim, devemos tê-las como horizonte no trabalho.

nisso, a Verdade - assim, com V maiúsculo - pode ser o Todo, mas também pode ser o mínimo. a questão não é o tamanho do que a gente tenta interpretar, mas sim o fato de que é sempre "a interpretação de algo" e nunca "O algo".

e como vamos além da interpretação das coisas e chegamos às Coisas? taí a pergunta.
.
.
.

Nenhum comentário: