Essas coisas, logo aí embaixo... Palavras ditadas por um Ghost Writer.

30 de abr de 2008

Um mural eletrônico e uma vida embalada pelo Rock.

Nessa sexta-feira tem show da MELHOR BANDA DA NOSSA PROVÍNCIA, a Damn Laser Vampires na capital estadual. Eles se apresentam na festa Laika Teenspirit, no clube Laika [mas que nome criativo pra festa, hein?! Hehehe].


A DLVampires teve seu disco, “Gotham Beggars Syndicate” [que teve uma 1ª edição em 2006 – se não me engano!], relançado nos EUA e Canadá, com novo projeto gráfico e algumas “bônus tracks”. Misturando punk, psychobilly, polka [!!!] com pitadas de caveiras e morcegos da Transilvânia, eles fazem o que existe de mais original no Rio Grande do Sul, assolado pelos indies chatos e mod’s [também muito chatos...].


Além do lançamento na América Anglo-saxônica, eles venderão o primeiro lote do CD [módicos 15 pilas!!], que chega este mês, por encomenda via email. Eu, como CARA ESPERTO já reservei 2 [eu disse DOIS!!] discos... Um é pra mim, logicamente. Ainda não decidi o que fazer com o outro... Quem sabe sorteá-lo entre o pessoal do blog?! Rá!


Dêem uma olhada no início do release feito pela gravadora que está lançando a banda:


Se Quentin Tarantino fosse fazer um filme baseado num romance de Bram Stoker, Gotham Beggars Syndicate – a estréia dos Damn Laser Vampires nos EUA – seria a trilha sonora.”


Além deles, tocam as bandas Spave Rave [da qual eu já falei aqui no blog] e Tom Enola [que eu já ouvi falar, mas não lembro de nada, hehehe].

O serviço da festa:


Laika: rua Santana, 375
Shows:
Space Rave, Tom Enola e DAMN LASER VAMPIRES
Discotecagem:
Roberta Cardoso, Doktor Bitch e Manoela Oliveira
Ingressos:
10 pilas [garotas pagam R$6,00 até a 1h]

That's All, Folks [... problemas na postagem. De novo]!!

25 de abr de 2008

Pródigo crítico musical, eu sou...

Bom, eu pretendia fazer, esta semana, um relato “jornalístico” do show de lançamento do single virtual da AdeNóide, que contou – também – com as apresentações d'Os Vespas e d'Os Incríveis Balões de Gás. O show foi no Hangar e tal, na última sexta...

Devido “forças ocultas” [um belo porre, pra variar], infelizmente, não poderei discorrer sobre o assunto da forma adequada. Mas posso tecer alguns comentários.

*O Grei é o “guitar-hero” de Gravataí. O cara toca bem e tem presença de palco, algo muito importante num guitarrista de rock, afinal de contas... E a banda é boa, o que é o principal.
*Infelizmente não pude ver o que, segundo fonte segura (diria seguríssima) foi o último show dos Balões de Gás... Isso não é legal. Se bem que eles já tinham pisado na bola desde que pararam de tocar a música mais foda deles, “As Incríveis Peripécias Circenses de Keith Moon”!
*A AdeNóide é uma banda punk. E não devemos nos esquecer disso!
Divulgação tosca é a alma do negócio (... em Gravataí city)! O velho e tosco cartaz colado nas paradas de ônibus é FUNDAMENTAL pra atrair público!
*A caipirinha do Hangar 18 é uma bomba de efeito retardado. Ou eu sou um retardado de efeito bombástico...

Sem mais, fecho meus comentários sobre o assunto... Falando sobre o fim de semana que se aproxima, amanhã [sábado] tem show da WALVERDES [a partir da meia-noite] no Bar do Morro, em Sapiranga... Se alguém estiver interessado em formar a “caravana da alegria” até o referido show, me avisem!

18 de abr de 2008

Leio, logo COMENTO!!

... Dá pra entender ou querem que eu desenhe?!

[Uma campanha que objetiva estimular os comentários sobre os textos dessa pocilga!]

17 de abr de 2008

Poutz, sem título criativo, hoje...

Bem, amigos dos Comentários Escritos!! Estou me preparando pra “virar” locutor esportivo, hahahaha!! Mentirinha... Só um irônico e “parafraseante” início de texto.

.

Temos novidades no campo musical em Gravataí [MINHA – possessivamente falando – cidade!]. Os amigos da AdeNóide lançaram um “single virtual” essa semana. Nesses tempos de downloads e o escambau, o suporte físico realmente é discutível, se não desnecessário. Está na página da banda no site Tramavirtual, disponível para ser baixada a música “Fantasia Desbotada”. Segundo o release dos guris “um power pop que conta com a produção de Alexandre Birck, da grande Graforréia Xilarmônica”. Já na minha opinião, um passo a frente na sonoridade da banda, explorando recursos diferenciados em relação ao seu começo. Como sempre, vale conferir!

.

E pra “lançar” o single, eles vão fazer show na nossa cidade, depois de um ano [... e três meses, eu acho] da última vez que promoveram um evento em sua cidade de origem.

.

Será nessa sexta, dia18, Hangar 18, que fica no cruzamento entre a RS-118 e o viaduto da Av. Dorival de Oliveira entre as paradas 74 e 75 [além disso, o Hangar fica confortavelmente PERTO da minha casa, um grande ponto de referência em Gravataí! Adoro isso, hahaha!!]. Farão barulho, na mesma noite, as bandas Os Incríveis Balões de Gás e Os Vespas.

.

Ótima pedida pra encher a cara ouvir um som legal no “começo do fim”... de semana.

.

E, nos próximos dias, teremos a “estréia” [praticamente um nascimento em um mundo apocalíptico, prestes a acabar, mas tudo bem...] do novo segmento deste blog – que já foi desacreditado pelos médicos já que, do primeiro semestre deste ano ele não passa! -, a seção “Frases Acachapantes”!!

.

[Na verdade, na minha última postagem tem, dentro do título, um belo exemplo das minhas frases, que é “Minha vida é minha matéria-prima”. Por favor, para encaminhar prêmios, honrarias, propostas publicitárias ou pedidos para uso de propriedade intelectual, contatem-me! Hehehehehe... Sou o cúmulo da humildade [tudo pelo humor, pessoal!].

.

Neste espaço colocarei todo [eu disse TODO!!] meu potencial para criação de slogans e frases de efeito em prática. Preparem-se, o mundo não será o mesmo [a não ser, é claro, que bata a preguiça e eu fique dois meses sem atualizar essa bagaça, novamente, hehehe...]!

14 de abr de 2008

Da série "minha vida é minha matéria-prima"...

... Ou "ligue o foda-se e seja um escritor visceral". Esse texto [aí embaixo] é mais uma das minha incursões em "locais obscuros" da minha cabecinha insana. Eu tinha toda uma explicação bonita e bem articulada pra apresentá-lo, mas esqueci quase tudo.

Só sei que acho ele muito bom [estéticamente falando], apesar de qualquer coisa!

Ahhhh, claro, faz MUITO TEMPO que não posto nada... Bom, acho que isso vai continuar "maisomenos" nesse rumo. Tou tentando sepultar esse blog, por que até já fiz outro, só falta fazer um funeral decente pra esse... E antes disso, nada de blog novo.



Boa imagem pra ilustrar o momento [tanto a imagem em si quanto a banda evocada - no caso, o radiohead, estão na minha cabeça ultimamente]... Thom York e cia. são os caras... E o disco novo também é "fodapacaraio".

E sim, eu sei que Radiohead é meio [só meio??! Hahaha.] depressivo... E eu curto esse tipo de som. Altamente contemplativo.

Cabeça

Poder-se-ia dizer que isso está no meu coração
Mas não
Não, não e não.

Os canastrões falariam isto
Esses clichês tão chicletudos

O coração não tem nada a ver
Ele é só uma bomba, impulsionando sangue pelo meu corpo.
E o meu sangue nem é, assim, muito bom

Com todas as minhas alergias & gorduras & substâncias tóxicas
& déficits variados de vitaminas & sais minerais
Com certeza não é muito bom

Não é meu coração quem pensa
Está na minha cabeça, isso sim
E não sai dela

De manhã, de tarde
Meu cérebro se [des]concentra em[/ao] pensar sobre isso

Ao contrário do Cobain
Eu não te faria uma Caixa em Forma de Coração
No máximo um Desenho Tosco em Forma de Cérebro

Simbolizando todos os meus neurônios
Ligados em Ti
Pensando o que eu NÃO tenho habilidade
de falar

Meu coração não bate por ti
Eu não tenho coração, sou um andróide
[Diriam Os replicantes que
“Andróides Sonham com Guitarras Elétricas”, mas...]
Mas todos os meus raciocínios e cálculos estão ocupados contigo

Desde a hora que eu acordo, lutando pra não me atrasar
Até entrar no ônibus, lá pelas Dez & Meia
E entre esses dois horários

E sim, foi em um caminho
Caminhos estes que um dia iluminaram [o Jack] Kerouac
Que agora fazem diferente os meus dias

E as minhas colegas de trabalho podem confirmar
A cara boba e os risos anormais
De um cara que recém chega ao trabalho
E que, geralmente, não se dá ao trabalho de rir

... E enquanto eu devoro uma caixa de Bis
[foda-se o merchandising!]

Eu digo [dizia, na verdade
Por que isso começou a ser escrito
faz um tempinho, já]:
É sábado! Aleluia!
É sábado de aleluia

As coisas podem/vão ser legais
2008 pode/vai ser tão memorável quanto qualquer
dia da minha infância

Eu sei disso.
Ou melhor
Eu quero crer nisso

Muito embora eu saiba
Que não sei expressar isso
[Direito]

“Oi, desculpa atrapalhar tua leitura...”
Mas já acabou [esse texto].