Essas coisas, logo aí embaixo... Palavras ditadas por um Ghost Writer.

24 de nov de 2006

OBS.: O TEXTO A SEGUIR NÃO É 1 POST COMUM, E SIM UM TRABALHO DE GRADUAÇÃO!! E EU NÃO ME ENVERGONHO DE USAR UM BLOG COMUNITÁRIO PARA ME BENEFICIAR!

A incrível história de alguém como todos nós (ou como fazer um “texto Miojo”)

Era uma vez (início extremamente original, não?!) um garoto no final do seu primeiro ano de graduação. No começo do ano ele entrou para o curso de jornalismo. Escolheu essa profissão pois gosta muito de rádio e, eventualmente, escrever (...enormes textos sarcástico-opinativos).

Ele (ele vai ser chamado de “Ele”, simplesmente...) no mesmo ano, passou a usufruir dos benefícios que a internet traz para divulgação de textos. Criou um blog com ex-colegas de Ensino Médio, fez outro em que só ele escrevia.

Com esses meios ele conseguiu disseminar seus textos para 8 ou 10 pessoas (afinal descobre-se que hoje em dia ter um blog é como ser um grão no meio da areia de uma praia imensa: é oferta demais pra ordem de menos!). A imensa maioria desse “público” era de amigos, conhecidos etc., etc....

Foi então que chegou o “Grau B” (a segunda parte) do semestre. Ele então conheceu as narrativas não-lineares (na verdade ele até já devia conhecer, mas não pelo nome!), entre outras matérias (e outras cadeiras!)...

Mas vamos ao assunto diretamente! O caso é que, apesar de pensar o contrário, Ele não teve notas muito boas no grau A, na disciplina de Português p/ Comunicação I. Por isso Ele tinha que se sair bem no Grau B. Foi aí que fez o primeiro (??) texto não-linear dele...

Contrariando a tendência de usar dos recursos tecnológicos para fazer um texto cheio de Hiperlinks (e também por que um texto tradicional “incomoda” mais o leitor do que um hipertexto digital), Ele fez um texto tradicional, no papel (sem leitura em grupo, por que nas leituras em grupo se perde muito do “sentimento” do texto). Apesar de ter pensado em fazer algo que incomodasse o público, o texto dele (dizem alguns!) agradou os colegas...

Mas a nota do Grau B não estava ganha! Fazia parte da nota “melhorar” a narrativa, acrescentar coisas novas para que o texto fosse para um blog da turma, mostrando os trabalhos deles com hipertexto.

Ele tinha um problema (pra variar... se não tivessem problemas não haveria narrativa, por que narrativas precisam de conflitos!)... Não sabia o que acrescentar a sua narrativa, pois o que a maioria dos colegas estavam fazendo era reparar alguns deslizes técnicos (coisa que não se pode mexer muito no papel!).

Foi então que ele teve uma idéia (que não foi grande, nem genial, mas que facilitava a vida dele): Por que não usar um dos textos que escrevi para os blogs como base para uma nova narrativa não-linear? Sim! Usar uma “resenha” que fez sobre um festival em Porto (Alegre), que contou com várias bandas de todo o Brasil, mas em meio a um público um tanto irritante pra Ele...

E assim ele começou um novo projeto. Mostrou o texto pra professora, que disse que poderia ter mais intriga no enredo. Aí embananou, o texto já era extenso (de 3 a 4 páginas), muito segmentado (alguns termos teriam de ser explicados aos colegas) e ele teria que acrescentar mais intriga na história, além dos links? Esse já não podia mais!

Pensou em fazer uma história sobre um cara que aprende o básico sobre violão para tocar as músicas das suas bandas preferidas (como essa, ou essa. Mas também poderiam ser esta, aquela, ou aquela outra!). Mas a história não tinha muito fundamento e era muito prolixa. Não deu! De novo!

O grande problema nisso tudo era que essas escolhas estavam sendo feitas apenas uma semana antes da entrega do trabalho, e, além disso, ele tinha as outras matérias para se preocupar (e muito!).

Ah é, já ia esquecendo! Ele pensou em fazer um hipertexto digital (uma grande desculpa pra colocar nos links músicas de bandas de rock, pra escutar no meio da aula!) cheio de hiperlinks. Mas ele não entendia patavina de Power Point, e tinha muito pouco tempo pra aprender...

Chega à sexta-feira de entrega de trabalhos e Ele faz um texto sobre a história de um cara que está no final do seu 1º ano de graduação...

Será que Ele receberá a nota necessária pelo trabalho? Isso só será conhecido depois que esse texto acabar (portanto não espere saber o final da história)!

17 de nov de 2006

Pseudo movimentos sociais... Ou vamos proteger nossos filhinhos irresponsáveis

Quarta-feira (desculpem qualquer erro de digitação, é difícil digitar com um braço "entalado"), 13 de setembro de 2006... No domingo passado uma reportagem no "Fántástico" (plim, plim!) me chamou a atenção (notem que eu só demorei 3 dias pra escrever isso... Preguiça??! Não, imagina!!):

Uma tal repotagem sobre o comportamento dos "jovens" (...e lá vem eles de novo!! Tentando tipificar e "esteriotipar" a juventude num único modelo... Adolescentes bonitinhos e politicamente corretos de classe média alta, preocupados com que roupa vão ao shopping...) mostrando como a "galera" (gíria que eu ODEIO, e que ELES ADORAM usar pra definir jovens...) se comporta na "balada" (bom, nem vou entrar no mérito dessa palavrinha medonha... Essa eu deixo pra vocês zuarem!)...

E lá estavam eles, mostrando meia-dúzia de idiotas como a representação de todo ser vivo entre 12 e 25 anos idade na face da Terra...

Dois (2, eu disse 2!!) meses depois eu retomo o texto, por que a motivação é velha, mas o assunto não perde atualidade!!

Indo ao assunto: Era mostrada na reportagem mais uma iniciativa de conscientização (de uma parcela!!) de jovens para o perigo da mistura de álcool e direção... Até aí tudo bem, apesar do meu sarcasmo habitual eu não sinto prazer ao abrir jornais e sobre mortes no trânsito, a medida é louvável, mas eles falham em UMA parte MUITO importante, e aí eu não perdôo (não sei se escrevi essa última palavra de forma correta... Dane-se!)...

...Acreditar que todo "jovem" (êta, palavrinha que não me agrada muito...) é igual: sonha completar 18 anos pra ter a "sonhada" carteira de motorista, ter um carro (dele ou da família) e todo aqueles "adjetivos" que eu já citei no 2º parágrafo!

Eu me sinto desrespeitado, sendo colocado sob o mesmo rótulo que esses garotinhos-"beberrões"-malandros-irresponsáveis da classe média!! Todos sob o rótulo de jovens, eu e eles, mesmo que eu não tenha nada a ver com esse tipo de pessoa!!

Não penso que "eles" (mídia em geral e ONG'S desavisadas) acreditem nisso, ou ACHEM que eu acredito (com certeza, isso não!!)... É esse tipo de coisa que me irrita profundamente, ver toda a diversidade ao meu redor ser reduzida a termos como "jovens", "adolescentes", etcetera...

Que fique público através desse meu esforço que nem todos os jovens tem ambições tão vazias como ter um carro... Que fique aqui registrado que existem SIM "jovens" que tem outros desejos (ou alguns como eu, que nem sabem exatamente o que querem!!) e anseios diferentes, que questionam a sociedade e sua forma de organização, não simplesmente tentando "correr atrás da máquina" para obter popularidade!!

Desabafo curto, mal-feito e provavelmente mal-compreendido (se ninguém me crucificar por esse texto eu até vou achar estranho!), mas válido como desabafo, e só isso...

...That's all Folks!!!

(Como todos sabem, eu uso o FOTOlog como mera desculpa pra largar meus textos na net... Portanto não cobrem coerência da foto com o texto!! Sonic Youth é foda e eu tava a fim de colocar a capa do último disco deles aí... Foda-se!! )


...ESPEREM PARA AS PRÓXIMAS SEMANAS UM COMENTÁRIO RAIVOSO E SARCÁSTICO SOBRE O DIA DE "JURAMENTO À BANDEIRA, FATO RIDÍCULO, IDIOTA, ULTRAPASSADO ENTRE OUTROS BELOS ADJETIVOS...

12 de nov de 2006

Comentários Escritos Especial
20 anos de Tassi Soster


A nossa mascote do CE comemorou no ultimo sábado os seus 20 aninhos de muita pureza e ingenuidade,Tassiana Soster Santos fez uma festa VIP reservada apenas para seu irmão e para seu melhor amigo Rodrigo (no caso eu),a locação do salão foi muito bem planejada,um lugar sofisticado,com tv,dvd,ar condicionado e um sofá velho q faz barulho qndo balança (minha casa :D)

O banquete (eu disse BANQUETE) da noite foi o maravilhoso xis podrão de calabresa (to procurando até agora a maldita calabresa) só tinha pão nakele troço,mas isso são detalhes tão pequenos de nós dois,antes do rango tivemos unica apresentacao do filme MONSTROS S.A na qual rendeu muitas risadas e mtos "óóóó q bunitinha".

Bela programação de sabado né?!tá folgando?!

imagino q tu fez uma coisa mto melhor...tipo fico vendo a novela com a tua vó e tomando cházinho preto...


Aqui temos Dudu e Tassi tomando alguma coisa q parece coca-cola...que nada...é INTÓXICO...e daqueles fudidos...65 % de teor alcóolico...só alegria!

10 de nov de 2006

Da Série "Filmes que gostariamos que fossem lançados" (Parte 11)

Você como um bom brasileiro curte um futebol né?!ainda mais se seu time do coração está numa ótima fase,o problema é que nem sempre você pode ir ao estádio para acompanhar os jogos e como tu é chinelo que eu sei tu não deve ter Tv a Cabo com o pacote do brasileirão,aí tu ta fudido pq vai ter que depender da Tv Aberta (Globo),o outro problema (sim,temos muitos) é que eles não transmitem os jogos locais,então se teu time ta jogando em casa,desiste!

Você como um brasileiro que não desiste nunca,ainda tem esperança com os jogos FORA DE CASA,mas INCRIVELMENTE o horário do jogo do seu time não bate com o horário dos jogos transmitidos,é sempre mais cedo ou fora do dia (quarta ou domingo).

Bem desanimado,tu se aconchega no sofá e espera pela bomba,então a novela vai pro comercial e toca a musiquinha...(Sim!aquela musiquinha)...isso mesmo,vai passa jogo do "curintia"...

e o pior...(eu avisei que ainda tinha o pior),o locutor fala:

UM JOGÃO DE BOLA NA BUSCA INCESSANTE PARA ESCAPAR DA SEGUNDA DIVISÃO!!!

Ae sabe o que tu faz?!

Desliga a Tv e vai ler o diário gaúcho (página do meio é claro!)