Essas coisas, logo aí embaixo... Palavras ditadas por um Ghost Writer.

31 de dez de 2008

"Don't forget me, dear"

Os convites que eu te fiz
Idiota
Não percebeu
A sutileza das entrelinhas
A concessão nos silêncios
As permissões
Entrelaçadas em perguntas
& pedidos

Mas nem tudo tá perdido
Prolongo bobagens ao falar contigo
A ligação ainda existe
Idiota
Apesar do presente
Eu quebro tudo pelo futuro
Sacou?
.
.
Eu não escrevi isso pra ninguém. Isso, na real, é o que eu queria OUVIR/LER vindo de uma garota "legalpacaraio". Não literalmente, mas algo nesse espírito, que transmitisse essas idéias básicas.

E sobre o título desse post, é mais uma BELA música DESSE cara.

Boa Noite. [Esse blog tá caindo ladeira abaixo, eu sei. Essas postagens tão muito EMOcionais, eu também sei! Mas sinceridade não falta, hahaha! E eu tou tentando parar.]

Pra CONTRASTAR com essa baboseira [que nem por isso deixa de ter "boas" - ou muito más, dependendo do viés, hahahaha - intenções], uma das melhores fotos que tirei no trabalho, durante o ano. Apesar de toda a simplicidade [e - por que não? - precariedade] no seu entorno, a alegria de duas crinaças e seu cachorro. Jornalismo?! Talvez...


26 de dez de 2008

Sim, curto filosofia, apesar disso:

Filosofia é a arte de pensar e refletir sobre a vida que você não leva.”

.

21 de dez de 2008

E não é que a RBS tem seus pontos fracos?!

Todo mundo aqui do sul do Brasil conhece o Grupo RBS. Principalmente a RBS TV. Mais ainda meus queridos colegas do [con]curso de Jornalismo. Para a grande maioria deles, a RBS é o orgasmo profissinal a ser atingido em vida...

Vejam bem, não estou dizendo que querer trabalhar na rede que constitui um oligopólio das mídias sulistas seja um pecado. Longe disso, até EU quero experimentar a sensação de ser pago pelos Sirotsky, um dia. Só acho essa "idolatria" meio idiota, exagerada.

Muita gente está cursando Comunicação Social pra "aparecer na RBS". Volta e meia o cara ouve algum[a] colega desmiolado[a] falando algo como "meu maior objetivo é trabalhar na RBS". Até parece que só será bem-sucedido na profissão jornalística quem chegar a mostrar o rostinho no "Jornal do Almoço"... Calma lá, pessoal! O maior objetivo deveria ser informar bem, não deveria?!

Pois bem... "Cês" tão ligados naquela palavrinha que eu usei pra "adjetivar" a tal empresa ali em cima? "Oligopólio".

Pois bem, é por causa dessa palavrinha que o Ministério Público de Santa Catarina entrou com ação contra a Rede Brasil Sul [RBS, a saber, caros colegas].

Trocando em miúdos, é mais ou menos como pegar aquele gurizinho de apartamento que tem quase todos os brinquedos do mundo, por que pode comprá-los - e não tem quem resista às suas investidas -, e dizer assim: Pára quieto, guri! Deixa as outras crianças brincarem também! Tu tem que aprender a dividir!

Dá uma olhada nesse link. Tá tudo explicadinho "nos conformes".

Obs.: Voltando aos tempos de contestador dos organismos sociais [punk?!!]. Ou pelo menos tentando...
Obs 2.: Mesmo assim, trabalhar no 4º Poder da Província é um objetivo, ainda. Experiências variadas nunca são demais.
Obs 3.: Nova "tag".
.

11 de dez de 2008

Pensamentos de um Dezembro Passado

Eu poderia uivar durante todas as noites
tentado explicar o meu ressentimento

Congelar o dia mais quente de uma nação subtropical
com a minha razão degenerada

Eu poderia me esconder
na máscara de um deus

Mas nem toda falsidade, de identidade
seguraria o instinto de besta

Estou vestido de morte e sou bem legal
apenas não aposto mais na autopromoção

[eu só sou pesadelo
pra mostrar o gosto real das coisas boas]

Nem todas as datas comemorativas, pseudo-festivas
enganam a minha náusea

Todo o prazer que eu mais desejo
não está dito nem escrito, nos seus livros

Existe muito mais na minha vã filosofia
do que entre as suas duas orelhas
e mais ainda do que há
nas suas crenças


*E, pra ilustrar o post, a capa de um disco que combina com tudo isso aí. O "disco do ano" pra mim, apesar de ter sido lançado em 94 - o disco e seu autor já foram assunto de outro post do CE. Que tem tocado pelo menos uma vez ao dia no meu mp3. E isso é o que importa pra mim.
.

6 de dez de 2008

Não se vá...


Entenda isso aqui e a ali.

Obs.: Biba, no se vá [eu não canto em voz alta, mas escrevo].
Obs 2.: Sou um publicitário metido-a-idealizador-de-virais infiltrado no Jornalismo. Apesar de eu não admitir, é fato.
.

28 de nov de 2008

Confirmado!

A visita anunciada agora já tem data e locais confirmados. O Radiohead se apresenta no Brasil nos dias 20 & 22 de março do "ano que vem" [usar essa expressão, faz paracer que o próximo ano está looonge, quando está a pouco mais de 30 dias de nós, hehehe]!

Os shows acontecem no Rio e em São Paulo. Confira detalhes aqui. No site da banda também já estão listadas as datas.

Agora, quem vai na "Caravana da Alegria" para o sudeste [o Rio parece o destino mais certo, mas isso ainda pode ser repensado até dia 5 de dezembro, quando começam a ser vendidos os ingressos, hohoho!]?!
.

26 de nov de 2008

Algo de novo no Front [e moças bonitas]

Recomendo aos visitantes deste humilde [humilde? Hahahaha!] blog visita à ESSA revista. Na verdade, é só o site da revista, mas já dá pra ter uma boa base sobre a publicação. Conteúdo adulto, artístico, cultural e mais o escambau sem amarras moralistas. Textos legais, entrevistados idem e pra completar - as cerejas do bolo, afinal - moças bonitas. Uma revista eminentemente masculina, mas sem o viés "playboy" da Playboy, hahaha! O que um [pseudo-jornalista-libertário-anarquista-blablabla] chinelão pode querer mais?!

[Não respondam!]

Arte, crianças!

Aproveitem pra ler a entrevista com o Xico Sá, quem sabe O Grande Gonzo Brazileiro [com "z", mesmo]. O cara, além de baita jornalista [basta dizer que ele conseguiu entrevistar o PC Farias quando este estava FUGIDO do Brasil e da "Justiça" - vocês lembram/conhecem a história do presidente Collor e do PC Farias, né? Não me decepcionem!] é escritor de mão cheia. E ainda dá uns pitacos no mundo musical...

Descobri a EleEla no blog do Mário Bortolotto. O cara é "O CARA", e tenho dito. Tem entrevista - que pode ser acessada online - com ele na revista. Além disso, visitem o blog dele e entendam o porquê admiro o cara...

Falando nisso, tem temporada do filme "Nossa Vida Não Cabe num Opala" - adaptação de um texto dele - no Cinebancários, espaço do Sindbancários, em Porto Alegre, capital do Universo de Bombachas. O texto teatral que o inspirou tem a alcunha de "Nossa Vida Não Vale um Chevrolet". Parece que a mudança no nome, na passagem do teatro para a película, ocorreu devido a uma exigência da GM.

Nessa terça teve pré-estréia, com participação do diretor, até. Infelizmente, perdi o filme [e a chance de fazer uma ou outra pergunta cara-de-paupro diretor] graças a aula de "Assessoria de Imprensa I", que em muito pouco tem me ajudado no meu estágio [que - curiosamente! - é em assessoria de imprensa]...

Penso em assistir a película no fim de semana. Parece uma boa pedida. Mas nada de pipocas, no meu cinema, claro! Um trago, talvez... Quem tiver interesse em ver o filme, avise.

Obs.: Escrever de madrugada é o canal.
Obs 2.: Nova "tag".

20 de nov de 2008

NINGUÉM comenta. Mas eu não desisto!

“Sorte? Isso não existe. Na real, é tudo uma questão matemática. Num mundo com mais de 6 [SEIS!] bilhões [BILHÕES] de habitantes TUDO é possível! Até nada.”
.

19 de nov de 2008

Super [mas nem tão] Novas

Sabe aquela coisa de "o RS é o melhor lugar do Brasil", ou "os gaúchos são mais inteligentes, politizados, democráticos" e o escambau?! Eu embarcava nesse barco até pouco tempo. Então dei de cara com a "realidade" [minhas experiências do dia-a-dia próximo aos "Poderes" do "Estado"], e passei a ler um blog muito legal, que desconstrói esse mito e ainda informa de maneira eficiente e divertida [acesse o blog nesse link!].

Agora, passada a 1h da manhã de quarta-feira [19.11], achei um texto muito bom sobre essa "identidade gaudéria", de bombachas e meio perdida no tempo-espaço. Ele mostra de forma detalhada o que eu ainda não conseguia sintetizar ao argumentar com amigos/conhecidos sobre o assunto.

Leiam aqui!

### E... Compareci a mais um Gig Rock, pra variar. Chuva, localização, & polêmicas à parte, tentarei fazer, até o início de dezembro um texto sobre o festival. Tal qual esse aqui & esse outro.

That's all folks... Por enquanto.

[ ### Ahhh, e já ia esquecendo: descobri nesse fim de semana um PLÁGIO - isso mesmo, PLÁGIO - de um texto meu, num blog por aí. Farei considerações sobre isso em breve. É "ÓBEVIO", hehehe!].
.

14 de nov de 2008

[Mais um!] Gig Rock e afins do fim de semana

Caralho, ganhei uma promoção, dá pra acreditar nisso?! E, graças a essa Sorte ducaralho, vou ver o Gig Rock DE GRAÇA!! Ganhei passaporte sem ter que pagar nada. Mas claro, vou ter que dar uma boa caminhada pra ir pegá-lo [além da caminhada infrutífera desta quinta, quando fui ATÉ o Porão do Beco e não consegui pegar o dito cujo...]. Agora é ver se essa sorte se transfere para os "relacionamentos" em geral, com menininhas por aí...

Para saber mais sobre o Gig Rock, entra aí no link amigo.

Além disso, as previsões para o fim de semana são as melhores possíveis. Nada mais, nada menos que 3 [eu disse TRÊS!!] ensaios, todos seguidos. Melhor de tudo: Sem ter que pagar estúdio, e ainda vai rolar churrasco! Isso por que vamos tocar na casa do Rodrigo, ao ar livre, hohohohoho, que beleza!

E no domingo ainda tem mais bandas tocando pelo Gig Rock. Só que dessa vez será na Usina do Gasômetro. E ainda tem a Feira do Livro, que eu não visitei esse ano [ainda mais que eu tô precisando de uns livros pro curso de Jornalismo...]. Unir útil ao "agradável". Parece o caminho do domingo.

Muita coisa, pouco tempo pra tudo. Nem vai dar tempo de dormir; e o meu dinheiro vai acabar. Mas não é pra isso que estamos aqui, mesmo?! Vai ser afudê pra caralho, confio, hohoho!


[Uma "alegria" meio boba tem me guiado nos últimos dias... Deve ser a primavera, e as colegas de Unisinos, "desabrochando" pelo campus. Ai, chega a ser ruim de TÃO bom, haha!]
.

12 de nov de 2008

RADIOHEAD!!

No Brasil, no ano que vem!! Já tá até no site dos caras!! Inegávelmente uma das melhores bandas do mundo [e nem adianta tentar me convencer do contrário!], além de trilha sonora dconstante no meu dia-a-dia.


Vendo órgãos [acho que meus olhos são bons...] do meu corpo. Ou ele inteiro, a quem interessar. Também farei rifas e chás beneficentes [à minha causa, é ÓBVIO!]. Assaltos a velhinhas nos centros de Gravataí e Porto Alegre não estão descartados.

Curiosidade: Eu tava QUASE conseguindo dormir antes das 2 da manhã nessa madrugada de terça/quarta. Até que essa bomba cai no meu colo!

Agora vai ser foda ficar calmo até conseguir organizar viagem, compra de ingresso, etc. Nunca atravessei o Mampituba. Chegou a hora. Por que, obviamente, o show será em São Paulo ou no Rio.

Meu primeiro show internacional, minha primeira viagem pra fora do Rio Grande do Sul [Pampas, ou Centro do Universo, como descrito por alguns], gastos, loucuras, coisas caóticas.

E lá vamos nós...

[Entendam, esse post não tem nenhuma lógica, são só um monte de idéias levemente interligadas por um fato excepcionalmente legal.]
.

11 de nov de 2008

Já diria a "Superguidis"...

"SEU amor é um mercado norte americano
emitindo falsos lucros!"


... e segue.

Obs.: Diga-se de passagem, fiz uma "alteração de cunho libertário-poético" na letra. E, de quebra, inventei um novo termo ININTELIGÍVEL e SEM noção.
.

7 de nov de 2008

Monobloco Reflexivo

Velho, barrigudo & bêbado. Muito mais anos de idade do que meus dedos das mãos [mesmo ajudados pelos dos pés] podem contar. Uma ironia ácida que corrói até mesmo o "emissor". Uma incrível descrença nas Instituições estabelecidas. Uma incrível descrença em si próprio como agente de mudanças. Um gosto escatológico por coisas sem sentido, & um gosto sem sentido para coisas escatológicas. Sensibilidade que fez aflorar um exoesqueleto. Ósseo?! Titânico! Desumano. Libido & alguma vivacidade. Ambas perdidas [e diminuídas] dentro do tal exoesqueleto. Amante do blues. Apreciador convicto da melancolia, da dor que pressiona a massa encefálica a pensar. Regurgitar. Incompreensível, incompreendido & incompreendedor. Inventor de palavras. Descrente na [e pela] sociedade. Propagador de coisa nenhuma. Nem a raiva lhe sobra. Hoje ela é só resignação. Um apaixonado pela "beleza". De idealização tamanha que se torna impraticável, inalcansável. Impossível! Idiota, mas prestativo na medida do possível. Um bloco de gelo. Um sorriso inexistente. Não dança. Bebe. Não ri. Bebe de novo. Não interage. Continua bebendo. Ouve Mark Lanegan. Sonha beber. Amedrontado de tanto desejo e vontade. Abraça o copo, bebe só pra variar. Tanto quer que nada tem. Cervejas geladas e inanimadas não são um desafio à auto-estima, não questionam, não desafiam. Só anestesiam. Existem melhores companias?
.
"Homenagem" ao velho Bukowski. Mas, claro, com algum toque personalizado.

A Musa e o Despretensioso Perseguidor [parte 3 de 3]

... Ultrapasso alguns transeuntes [ótima palavra. Sempre pega algum desavisado de sobressalto. “Como se lê, professora? tran-ze-ún-tes ou tran-seun-tes...”]. Adoro brincar disso em meio a multidão, desviando, como uma nave espacial tentando sair de uma tempestade de meteoros... Uma dança de culto ao caos, em meio à desordem do povo, desviando dos caminhos gananciosos por espaço na calçada, na rua, por tudo. Direita, esquerda, mais pra esquerda, puxa a mochila pra não bater em ninguém, gira o corpo, sempre andando.

Sem parar.

Nesse ritmo, chego perto Dela, em alguns passos. Mãos segurando as alças da mochila. Crianças andam dessa forma, se bem me lembro. Andando apressado e, já que Ela está logo a frente mesmo, observando a moça bonita. Mas claro, como estagiário atrasado, não tenho o tempo todo pra contemplar a beleza feminina pelas ruas...

E já que não era muito ligeira nos seus passos, sim, eu a ultrapassaria, pra seguir meu caminho. Eis que ela percebe um sujeito andando rapidamente, vindo pelo seu lado esquerdo. Lado da bolsa, que é apertada junto ao corpo, debaixo do braço. Ela olha pra trás e apressa o passo.

Tomou um susto.

Pois é, não tenho o rostinho do Gianechinni, nem do galã-loiro-da-vez da Novela das Oito [que começas às Nove!], muito menos desses outros atores de sorriso exemplar e cabelinho meticulosamente [des]ajeitado. Tô mais pra jardineiro [ou motorista] de novela, ou favelado de matéria de telejornal, sobre criminalidade. Afinal, pretinho como Eu só aparece desse jeito, a não ser o Lázaro Ramos, mas aí a história é outra. E o tempo, curto demais pras [repentinas] políticas de compensação histórica das emissoras de TeVê.

E é por isso que agradeço diariamente por morar neste belo pedaço de continente chamado “Brazil”. Um lugar que não é assolado por terremotos, maremotos, vulcões ou outras catástrofes naturais titânicas....

Um lugar marcado pela mistura de etnias, credos, pensamentos e culturas e que, mesmo assim, vive em paz, ao contrário do Oriente Médio, por exemplo, só pra citar um clichê[-chicletudo].

Um lugar onde todas as pessoas são simples, sinceras, generosas, humildes e mais uma infinidade de adjetivos positivos... Por fim, um recanto onde não existe preconceito entre as pessoas, de forma alguma...

Mas será mesmo?!
.

OBS.: É bom avisar que, em tempos de Barack Obama eleito "presidente do mundo", eu já tenho essa histórinha escrita há mais de seis meses. Tinha outra observação [provavelmente alguma idéia de uma mente melancólica e descrente, fazer o quê...], mas esqueci. Pena [ou sorte, vá saber!].
.

5 de nov de 2008

“Give me another BLOWJOB...” [versão atualizada!]

Nada melhor que iniciar o post com um pouquinho [mas bem pouquinho, mesmo!, fazer o quê...] de putaria. Mas é putaria abstrata, artística, limpinha. Só no Mundo das Idéias. Ouvindo Mark Lanegan. O cara que lá em 94 pedia “Whiskey pros Fantasmas Sagrados” [ACESSE o link logo aí atrás! Não é uma sugestão, é uma AFIRMAÇÃO!] e também o “blowjob” do título.

O que Mark Lanegan faria frente as situações que EU vivo? O quê o cara que faz a trilha sonora das minhas paranóias, com sua voz rouca & INCONFUNDÍVEL [!!] - além daquela levada “blues melancólico” das músicas dele – diria? Mandaria um sonoro “fuck off” pra todo mundo? Cederia aos instintos e faria besteiras, levado pela testosterona?

Vá saber... A única coisa que dá pra ter certeza é que a música dele é singular, e as melodias que ele canta não me trazem a mínima necessidade de tradução. Ouçam [!!], é bom. Eu recomendo. Ainda mais se você estiver no ônibus/trem, num dia de Sol ameno, pensando nas doideras da vida.

Mas, indo aos fatos. Por que, afinal de contas, sou um [pseudo-]jornalista:

Nos dias 8 e 9 de novembro tem Mostra de Cinema em Gravataí – também conhecida como “Bromelândia”, hahahaha. É o [festival] ou a [mostra] Gravacine. Iniciativa bem interessante, e diferente para os parâmetros da minha QUERIDA [acreditem se quiserem, mas isso é verdade!] Terra Natal. Até a Mary Mezzari, da Ipanema FM, vai estar lá! Ela vai ser mediadora de um debate e tal... E vai ser exibido o “3 Efes”, do Carlos Gerbase, eterno Replicante.

Como sou adorador do Deus Ócio não vou postar aqui a programação ou o que quer que seja. Mas aviso que é necessária inscrição no evento. Então corram pros links que eu vou dar DE BANDEJA pra vocês e se programem. Tem o site oficial do Gravacine e o blog do festival. Com isso já dá pra se virar...

Infelizmente não vou poder conferir toda a programação do Gravacine, mas é por uma boa causa. Podem acreditar.

E essa causa é o Texugo Rock Festival. Esta é a segunda edição do festival esse ano [até fiz matéria pra cadeira de Redação da faculdade no primeiro, mas ela foi devidamente retalhada e descaracterizada pra entrar no “Babélia”, jornalzinho dos estudantes do Centro 3].

Começando a partir de sexta e indo até o domingo, vai ter bandas “afudêpacaralho” como LARANJA FREAK [devo um jornalzinho pro baixista deles, que eu entrevistei na edição anterior – quando fiz a matéria pra cadeira de Redação I – e foi super gente fina!], Cartolas [não é a melhor banda de todos os tempos, mas é divertida...], Daniel Rosa e Saturno Experiment [vi no Morrostock e, pelo que lembro – hahahaha! – foi legal], Pública [torcia o nariz pra eles, antes, mas agora até curto, apesar de serem porto alegrenses, hahahaha!], DAMN LASER VAMPIRES [sem comentários!!], Locomotores, SUPERGUIDIS e Os Replicantes [tudo bem, eles já não são o que foram antigamente, mas ainda soa legais pra poguear e tomar CEVA!!].

Acesse o blog do Texugo. Here.



[Sábado vai estar MUITO À Foder!! Hohoho!]
E até lá!
.
OBS.: Sejá lá por quê, o posto ficou todo mal arrumado. Entonces, "repostei" o texto, direitinho, com tudo no lugar...
.

31 de out de 2008

A Musa e o despretensioso Perseguidor [parte 2 de 3]

... Mas sim, nós três não estávamos sozinhos naquela rua. Haviam as pessoas esperando seus ônibus, os intermunicipais que levam à capital da província, todos os dias, milhares, milhões de provincianos. Naquela rua, exatamente, ficam à espera de ônibus [quem sabe à espera de milagres também, vá saber...] as pessoas que vão para Guaíba. A cidade quem tem o nome do rio. Que não [NÃO!!] é rio! Mas tudo bem, no fundo isso não importa muito pra ninguém, de qualquer forma.

E Ela andava pela calçada, entre os “guaibenses” [nem sei se esse é o adjetivo correto para os moradores de Guaíba, mas me fiz entender, creio. E claro, nem todos que esperavam a condução por ali deviam ser de Guaíba, mas a grande maioria deve ser, como a grande maioria das pessoas que esperam os ônibus de Gravataí – e esses eu conheço bem! – são gravataienses!] e os ônibus estacionados. Ahhh, claro, tinham também os vendedores. De balas, refrigerante, rapadura, amendoim, salgadinhos diversos, quinquilharias baratas. Todos na busca do sustento, diariamente.

“Vai uma aguinha aí, tio?”.

Eu também estava andando naquela calçada. Com meus All Stars surrados [sujos e furados], desviava de qualquer resquício de substância liquida vista [vistosa? Viscosa?! Visconde de Sabugosa! Rimas...] no chão. Em lugares como esse, essas marcas são sempre de origem duvidosa. Na verdade, muitas vezes, o aroma vindo dessas “marcas” atesta sua procedência. É só prestar atenção. Abrir o nariz para os odores da cidade. Não me dou tal luxo, sinusite, asma, bronquite e rinite me impedem.

Bom senso também.

Controlo meu passo. Não tentando alcançá-la [pelo menos não conscientemente!], nem por nada muito óbvio. Simplesmente porque caminho de forma atrapalhada, principalmente em meio a pessoas [se noto alguém ME OLHANDO o problema piora!!]. Sou um grande desajeitado, na realidade. Por isso, policio minha caminhada, tentando corrigir meus passos desajustados. Tento me distrair, pensar em outra coisa que me faça esquecer do meu andar desajeitado.

E aí volto a prestar atenção. Nela.
.

OBS.: Tem gente lendo isso aqui? A história tá legal, interessante, qualquer coisa?! Aceito opiniões [apesar de ser totalitário o suficiente pra não dar o braço a torcer, hahaha!], é pra isso que posto nessa bagaça!
.

29 de out de 2008

Hai Kai #2

após o terremoto
na volta ao lar descobre
não há mais ponto seguro
.
.
Esse deve ser o quarto ou quinto, e não o segundo Hai Kai. Só que resolvi "passar ele na frente" na fila de postagem. Recém saído do forno.
.

27 de out de 2008

Caríssimos [e caríssimas]

Olha, não foi intencional, mas até que o efeito foi "legalpacaraio".

É isso que eu tenho a dizer sobre a formatação esquisita que apareceu na minha última postagem, que obrigou as pessoas a transferir o texto para um editor - de texto!! - e trocar a fonte para conseguir lê-lo.

Coisa de loco!
.

A Musa e o despretensioso Perseguidor [parte 1 de 3]

Eu observava-A fervorosamente [... que eu lembre]. Caminhava de forma apressada, mas sem perdê-la de vista. Eu, um estagiário atrasado. Sempre atrasado, correndo apressadamente pelas ruas da capital da província onde moro. Uma “província provinciana”, que cada vez mais se mostra diminuta frente aos avanços do pensamento, e dos títulos e feitos alardeados como marcas de orgulho deste chão. Ou, quem sabe toda essa análise seja fruto do rancor de um jovem revoltado e insatisfeito a quem esta sociedade provinciana deva tantas coisas... Um jovem que encontrou eco ao seus anseios num “Cobrador”, num livro perdido entre marmitas, pilhas alcalinas e textos desinteressantes.

Culpa de um tal Rubem Fonseca, ao que parece...

Como dito antes, eu caminhava de forma apressada. A Minha Pressa [só existe pra aplacar os efeitos da minha preguiça, conseqüentemente causada pelo meu desapego aos objetivos que a sociedade impõe...] que, naquela mesma manhã, já tinha feito com quê – por pouco! – não acabasse me jogando na frente de um motociclista [no momento em que este dava partida em sua moto...]. Ela, a pressa, guiava meus passos, me levando ao meu trabalho, num começo de tarde quente e irritante.

E Ela, com suas formas curvilíneas & harmoniosas, chamava a atenção dos meus olhos. Mesmo contra minha vontade. Uma blusa branca e uma calça jeans acompanhavam-A naquele dia quente. Seus cabelos chegavam quase até a cintura, negros e lisos. Rá, e como eu gosto de cabelos assim, negros e lisos... Andava de forma graciosa, deslizante, eu diria. Cuidadosa, como a grande maioria das pessoas ao andar nas ruas de um grande centro urbano, não perdia a atenção sobre a bolsa, levada a tiracolo.

Aí estão postos os atores principais desta singela história: Eu, Ela, e a Minha Pressa.
.

*OBS.: Quando eu achar conveniente posto a segunda parte desta histórinha, hohohoho! Acessem, leiam e comentem, assim vocês verão mais rapidamente o desfecho.
.

25 de out de 2008

Vivendo e [des]entendendo...

... mas aprendendo. Com toda a certeza.

"Quando o leite já derramou não há nada que se possa fazer; apenas esperar que dê pra fazer, com as sobras, um último café-com-leite.”

.

13 de out de 2008

O que mais importa, nessa semana...


E vamos lá, pessoal. Três dias de rock, chinelagem e seja-lá-mais-o-que-for!
.

Flor da Idade

Pétalas podres
pólen perdido
esta é a Flor da Idade
flor da

MINHA Idade

flor perdida
num lance de
pura falta de

Habilidade.
.

26 de set de 2008

Só pra divulgar [Festa & Rock!!]...


Tá rolando van de Gravataí/Cachoeirinha/Porto Alegre pro referido show, organizada - van - por NÓS [?? - Carlos Kotoko, Ítalo Fantasma e Este que Vos Fala, eu acho]!! Todas as informações aqui:
http://www.orkut.com.br/CommMsgs.aspx?cmm=19263062&tid=5246595846794422935&start=1

Abaixo, o serviço da festa:

FUNHOUSE "Cumpleaños Feliz II"
Sábado 04/10 - 23h
Pop Cult - Av. Pedro Adams Filho, esquina João Pessoa, 4258 – NH

DAMN LASER VAMPIRES
Morgan Le Femme
Vouten
Poliéster
PlaNo Z
+ O DJ Marcelo Calavera
Estréia do clipe da música “Everybody were Stoned”, da Damn Laser...

Ingressos antecipados a R$8 e limitados a 150. Na hora R$12. Ambos valendo lata de ceva/refri ou dose de whisky/vodka!
.

25 de set de 2008

Infinitivo[s]

.
Ter que ver
O que se quer

E não se pode ter
Não conseguir agir

É de doer.
.
[Ouvindo repetidas vezes "Just" do Radiohead, do ótimo disco "The Bends". E aprendendo a tocar - pelo menos acho que estou - "The Rip", do Portishead. E, claro, ouvindo as músicas do "Third". Olhando pro céu pra ver se a chuva vai cair, hahaha...]
.

19 de set de 2008

Considerações...

  • Nine Inch Nails cancela [ou tem cancelado?!] seus shows no "Brazil". Logo agora que eu já andava EMOcionado [hahahaha] por que iria a meu primeiro show internacional...
  • Em "compensação", tem R.E.M. em novembro, se não me engano, aqui em Porto Alegre. Esperemos que não haja "falta de público", como ocorreu no caso do NIN;
  • Mês que vêm vai ter MUUUITA coisa. Damn Laser Vampires no aniversário do Pop Cult, Morrostock [festival de TRÊS dias, com acampamento e tal] e etc... Além de tudo isso, no referido mês eu voltarei a minha vida "normal", trabalhando 6 horas diárias, e tendo folga aos finais de semana!
  • E eu não consegui ver o "Ainda Orangotangos", ainda... Pode? Phode...
  • E, pra variar, eu desisti de umas idéias que andavam na minha cabeça, ultimamente. O grande problema de certas coisas é que temos que contar com a concordância de outra pessoa - boa era a Idade da Pedra... Era só bater na cabeça da "pessoa" e arrastar, hahaha! Mas isso é assunto finito. Vamos à vida cotidiana, voltar do Mundo das Idéias, novamente.

15 de set de 2008

Eu posso gritaaaar...

Nos últimos dias tenho ouvido muito a banda Cascadura. Conhecia-os por uma música, que eu nem sabia o nome, que toca na Unisinos FM. Baixei os dois últimos discos da banda e me apavorei!! Fazia MUITO tempo que uma banda nacional não me chamava tanto a atenção. O "cabeça" da banda, Fábio "Cascadura", tem um tino muito bom pra melodias pop e letras que, ao meu ver, são bem elaboradas.

Mas essa música aqui é especial. Por um misto de coisas. Mas, o que importa é que fazem alguns dias que eu não consigo parar de ouví-la. Leiam a letra e entendam [... e sigam os links!!]:

Queda Livre

Lá vamos nós outra vez em queda livre

Não há como parar nem onde segurar
Só nos resta ir
Mas é boa a sensação de estar caindo
É tentar relaxar e se deixar levar sem se debater
Assim eu vou descer em queda livre

É bom manter a atenção ao olhar a paisagem
As vezes ver o céu, as vezes ver o mar, passa um avião
Só há um modo de aprender e é caindo

Vou ter o que contar aonde quer que eu vá,
todos vão saber
que eu só sei viver
em queda livre

Eu posso gritar
Ninguém vai me ouvir
não vou incomodar

Nem quero saber
Onde eu vou cair
pois pra mim tanto faz

E vou seguindo

Sempre a primeira vez é mais difícil
Tentar sentir-se em paz, pensar em nada mais
Vendo-se cair
Mas, ao invés de temer eu paro e penso:
Outro jeito não há, já que eu tenho que estar
Solto a descer, o jeito é curtir a queda livre

Eu posso gritar
Ninguém vai me ouvir
não vou incomodar

Nem quero saber
Onde eu vou cair
pois pra mim tanto faz


E vou seguindo

Eu posso gritar
Ninguém vai me ouvir
não vou incomodar

Nem quero saber

Onde eu vou cair
pois pra mim tanto faz

E vou seguindo

Só te peço um favor se você está me ouvindo
Se você se lembrar e não se incomodar,
Meu querido irmão,
Cante essa canção
se o meu fim for o chão
.
*As estrofes em negrito são serventia dessa casa.
.

...

Pois bem. Façamos três [3!!] minutos de SILÊNCIO pelas idiotices que eu faço regularmente. Pois nesse domingo, pra variar, cometi mais [alg]uma[s]... Não precisa compreender o motivo da coisa toda, é só ficar quietinho[a] um pouco, e postar um comentário AQUI pra registrar.
.
Obrigado a todos pela gentileza.
.

11 de set de 2008

Assáz interessante:

.
.

10 de set de 2008

Hai Kai One

novos tempos
sons antes renegados
adentram os ouvidos.
.
.
Bem simples, "nénão"? Na verdade esse é meio fraquinho, fiz na corrida só pra aplacar a ânsia de postar o 1º hai kai. Eu tinha feito um ótimo nessa terça de tarde. Pra variar eu não anotei, e esqueci!
.
Título sonoro ["rái-cái-uân"] pra postagem, concordam?
.

8 de set de 2008

Novos horizontes

Eu sei NADA sobre Hai-Kai. Na verdade já li alguns, mas faz tempinho. Depois de ler o termo num texto por aí, resolvi [graças ao Do-It-Yourself aprendido na Era Punk] escrever os meus, sem nenhuma orientação &/ou embasamento para tal. Vai ser na base da doidera. E não tem momento melhor pra decidir algo assim que num "pós-bebedeira".

Hai-kais para a Nação, então, é o que teremos daqui...

[outro dia, por que hoje a preguiça já me bateu!]
.

Mundo

Viu o desacerto do mundo
Durante uma tarde cinza de Outono

Teve vontade de chorar
E expurgar seus demônios

Mas não conseguiu;
Então se voltou para dentro.
.

7 de set de 2008

Nenhum [!!]...

... Comentário nas últimas duas postagens. Triste. Comentem aí, pelamordedeus! Nem que seja só pra escrever algo idiota. É foda escrever, refletir e transformar as situações [& idéias] em palavras... E ser sonoramente ignorado.
.

4 de set de 2008

Babaquices da madrugada embriagada

Porra, colega!
Eu poderia te cantar
A plenos pulmões “YOU really GOT me”
Saca? A dos Kinks?!
“Girl, you really got me now...”

Mas parece que não
Não tou a fim de ouvir
Tu vir me dizer
Algo tipo “I DON'T CARE!”

Não seria legal
Colega
Estragar a ponte que tenho contigo
O pouco que tenho [em vista do que quero, na real]
Significa bastante, pra mim
Não tenho por costume estragar amizades

No fim das contas
Eu já conheço essa história
Vou tomar um ceva com raiva
Ensurdecer ao som de umas guitas distorcidas

E voltar pra casa pra ouvir
“No Surprises”
Radiohead tem mais a ver
Comigo.

.
Obs.: Esses dizeres nada têm a ver com fatos ou personagens reais. Tudo citado aqui é fruto de uma obra ficcional, com o único intuito de dar vazão a uma expressão “artística”. Hahahahahaha!
.

31 de ago de 2008

Análise

Você vai lá, escreve, faz tinta com o sangue e estraçalha qualquer orgulho próprio.
Daí, quando a análise mais esperada é esfregada na sua cara – pois foi esperando um comentário
DESTA “julgadora” que você publicou-, o que você lê é:

- Ótimo, boa concordância gramatical. E bom contraste de cores.
Ahhh, hum, sobre o que é mesmo que você estava falando? Árvores?!

Poisé, as coisas são assim. As vezes.

28 de ago de 2008

"Orgulho" de ser gaúcho

Nossa provínica é a mais avançada do Brasil, realmente. Tanto quanto nos querem fazer acreditar... Somos mais limpinhos, mais politizados, temos os políticos mais austéros e blá blá blá. Tanto é que já temos, "prattcamentt" uma moeda exclusiva.

Dá uma olhada.

Ah, eu sou gaúcho [... mas não foi por livre arbítrio]!



27 de ago de 2008

Notícias requentadas com amor e carinho [e algum sarcasmo!]



Tópicos efervescentes:

Quinta tem Walverdes & Space Rave no Porão do Beco. Show assaz interessante com duas BAITA bandas. Ainda por cima vai ter VODKA [preciso muito!] em dobro até a 1 da matina! As bandas estão comemorando, cada uma, 15 anos de existência.

Existem rumores de que os Kaiser Chiefs também vêm tocar umas em Porto Alegre. Gosto de algumas músicas deles, mas acho que não me empolgo tanto pra ir no show quanto com o Hives, bem mais guitarreiro e tal, minha praia. Mas existem milhares de razões, entre Céu & Terra, pra ir no show. Quem sabe, por que não?


Descobri na madrugada, essa semana, que os "The Hives" [usar “os The...” fica redundante, mas foda-se...] toca na capital da província daqui duas semanas, dia 8 de setembro. Diversão garantida... O "probleminha" é o preço dos ingressos. 80 [oitenta!!] contos o mais barato!



Mas, com certeza o show mais esperado por este que vos digita é o do Nine Inch Nails, em outubro. Até participar de uma promoção pra ganhar ingressos grátis já participei. Nem devia colocar link pra promoção, senão vai ter mais concorrentes, hehehehe... Mas confio na minha frase, uáhahahaha!


Nessa sexta-feira [e SÓ na sexta, segundo eles...], os Forgotten Boys disponibilizam em seu site o novo disco, Louva-a-Deus! O sitezinho é “pesadopacarai” mas acho que o download valerá a pena, ohhhh. Pelo menos eu curti as músicas novas que eu ouvi, apesar de toda aquela encheção de saco dos fãs “true” de que as músicas em português são muito mais fracas e tal... Discordo!



E nesse fim de semana ainda tem a estréia do filme “Ainda Orangotangos”. Não sei muito o que falar sobre o filme, só duas coisas: o trailer me deixou MUITO animado, e a trilha sonora PROMETE. Básico.

23 de ago de 2008

Essa é boa...

... Pro inverno:

As vezes é necessário se expor um pouco ao frio para, em um momento posterior,
ter a noção exata do calor.”


18 de ago de 2008

Em tempos de...

... Olimpíadas na China [abro colchetes pra destacar o desempenho sofrível da representação brasileira!], um pensamento edificante sobre ideologias, baseado na conjuntura político-econômica do país-sede [sim, eu acho MUITO engraçado falar - ou tentar, vá lá! - difícil, e usando vários termos com hífen] dos Jogos. Deste que vos escreve:

Se a China tem um regime de “Comunismo de Mercado”, logo, não há problemas em afirmar que sou um “Anarquista Democrático”!



30 de jul de 2008

Sobre os novos tempos

A internet é uma coisa “mucho loca”, mesmo. Não vou tratar de um tema tão abrangente. Especificamente, o que me deixou boquiaberto, ultimamente, como a rede de computadores foi uma coisinha que eu coloquei aqui, no blog. É o FeedJit, uma ferramenta que registra, num mapinha, os visitantes de um site/blog que o tenha instalado.

O legal na história toda é que aparecem cidades MUUUUITO inusitadas como pontos de acesso ao meu blog. Pensar que pessoas que estão a quilômetros e de distância e NEM FAZEM IDÉIA de quem eu seja dão uma olhadinha [nem que seja uma única vez] no que eu escrevo é engraçado, até estimulante, diria.

Tem gente no JAPÃO que acessou o comentários Escritos, em Nabari, mais exatamente. Além disso, tem acessos em Portugal, Bélgica e França! Hohohoho! Aqui no Brasil, onde – obviamente –, está o maior número de cidades em relação aos acessos, tem registro em São Paulo [capital] e em MUITAS cidades daquele estado, como Indaiatuba, Americana, Jaboticabal. No Rio de Janeiro e no Nordeste também tem várias visitas... No Paraná tem Maringá; a capital, Curitiba, e PATO BRANCO! Sim, a cidade-alvo “De Uma Atração Humorística da Rede de TV Líder em Audiência no Brasil”.

Mas o estado com o maior número de cidades que visitaram o CE, claro, é o Rio Grande do Sul! Além das cidades da região metropolitana [Gravataí – óbvio! –, Cachoeirinha, São Leopoldo, Porto Alegre, Novo Hamburgo...] tem acessos em cidades onde eu NUNCA fui, como Rio Grande, Estância Velha, Santa Maria, Alegrete, e Caxias do Sul.

Agora fica a dúvida: O quê será que todo esse povo pensa do que lê aqui?!
[Vamos lá, pessoal, comentem!!]


28 de jul de 2008

Rascunho & Pensamento

Eu quero fixar meu olhar no firmamento.
Ver a copa das árvores [metros e metros, no alto] no caminho tortuoso,
tomado pela escuridão da noite.
Assistir as estrelas queimando hidrogênio [ou seja lá o que for...]
a quilômetros da minha cabeça. Sentir a infiMidade da existência,
E a infiNidade do Universo
... as coisas fluindo.

Eu não quero ver os carros, nem a estrada,
nem essas coisas mundanas e cotidianas.
Eu quero continuar observando a beleza do céu e do espaço.
Ouvindo Stone Roses...
Eu Sou a Ressurreição”!

21 de jul de 2008

Deliciosos venenos modernos

Faz tempo que
Ela me tenta
Mas ainda não beijei a
Bela moça de vestido Negro

E só não fiz isso por
Causa da minha Covardia

Ao contrário de outros
Considero fortes os que
Se aventuraram por esse caminho

Seguiram a tentação
Da bela moça de vestido Negro

Como todos, vou fingir
Esquecer que
Ela hum dia virá
Vou beijá-la no último
De meus dias nessa viagem
Como todos os outros

Mas enquanto isso fico aqui
Me entupindo de Sal
E eu sei que Ela gosta de Sal
E Ela também adora
As gorduras que tanto amo!

Deliciosos venenos modernos

Enchem os meus olhos
Corrompem minh'alma

Não espero encontrá-la
Numa rua num dia qualquer
Ou à noite
A beber com os amigos

Quero que venha ao meu encontro
Numa doce noite de brisa
Suave
Enquanto eu estiver dormindo
Serenamente

Espero que venha de surpresa
Discreta, sutil e macia
Em sua mão direita estará
Seu belo cajado em forma de foice.

4 de jul de 2008

Too much crazy things...

Começa hoje o Gig Rock!! E será neste evento que eu tentarei "reaver" [ou seria "reviver", "revitalizar", ou até então "reativar"?!] minha veia de "Repórter Chinelão". Rezemos...

Trabalho tomando direções, no mínimo, inesperadas. Mas positivas, sem dúvidas. Hohohohoho! ... E, além de tudo isso, e do texto aí embaixo, ainda tem uma Frase Acachapante!! Tremem os céus!!

Ah, ia me esquencendo... Tenho escutado muuuuito Nine Inch Nails, ou NIN. E, pra coroar essa nova "aquisição" para a "trilha sonora da minha vida vivida", a banda VIRÁ TOCAR em Porto [uma cidade não muito...] Alegre! Dia 9 de outubro, lá estarei eu pra ver a banda do Trent Reznor, uhúú!!

E, enfim, uma frase que demonstra resquícios da "Verdade Absoluta":

“Eu sou o cara mais legal do mundo; só falta o mundo descobrir isso!”

OBS.: Post sem hiperlinks! Desculpem-me. A causa é a pressa...


Mijando ao Sol Poente

tentei me esconder até as 17, eu acho
mas não consegui
agora tudo que eu desejo
é poder mijar olhando o Sol Poente

Estou na véspera d'O Dia do Grande Clichê
clichê que na verdade eu nunca entendi muito bem
[falta-me habilidade, afinal]
mas que se abana
Se mostra e me aguça

todos os dias, em todo lugar
qualquer um que eu ouse visitar

tentei esconder minha perna necrosada
meus pensamentos inválidos e mal-formados
mas as situações insistem em revelar
o que eu faço questão de esquecer

26 de jun de 2008

Bem, leitores dessa birosca...

O cara - escritor - que mais admiro, atualmente, do Brasil, estará em Porto Alegre NESSE FIM DE SEMANA!!!

Além do Mário Bortolotto, vão estar presentes muitos outros escritores e artistas. Confiram aí no flyer do evento [pra visualizar melhor, é só clicar na imagem, pra ela abrir em tamanho maior].


O texto aí embaixo é fresco, quase como uma fruta recém colhida. Fiz ONTEM! De onde veio esse tem outros mais. Tudo isso graças ao Bloco de Anotações que eu comprei...

That's All Folks!!
[Quem for no "Popular Porto Alegre de Ruído & Literatura" dê um toque, "right"?!]

Entorpecido Observador

Olha bem
Percebe o gesto que eu não fiz
Nota o que eu não expresso
Enquanto eu molho a garganta
Me ouve calar

Me escondo num copo de
Cerveja sem colarinho
No vento do inverno um
Pouco mais quente que Eu

Minha Auto-Estima fugiu
Enquanto eu olhava televisão
Agora Eu acompanho a
Vida alheia

Sou um Entorpecido Observador.

12 de jun de 2008

Hoje...

... Data-mór da personificação do poder da Publicidade na sociedade midiática - caralho, posso escrever um livro com esse título, tri pensador da Comunicação, haha! - vos presenteio com uma frase de brilhantismo singular. Autoria de uma pessoa extremamente humilde, hahahaha...
.
"A vida é simples: todos os problemas mundanos são culpa dos publicitários e suas invenções insanas. Culpemo-os, então!"
.

9 de jun de 2008

Entrevista?! Mini, da Walverdes

Navegantes, eis a volta do capitão deste navio mal-tratado pelas intempéries do tempo-espaço. Atrasado, mas cumprindo o que prometi na última postagem, aí embaixo está a “entrevista” que fiz com o Gustavo Mini, da Walverdes, ocorrida em decorrência do Texugo Rock Festival, ainda.

E, pasmem!, meu texto FOI PUBLICADO no Babélia [que agora percebo ser bem pior do que eu pensava antes...] – jornal do qual não consegui link NENHUM na internet – apesar da força descomunal que algumas colegas fizeram para que ele não fosse “ao ar” [ao papel, na verdade...]. Lembrando que este texto, feito para a disciplina de Redação Jornalística I, foi o motivo pelo qual eu fiz a “cobertura” do evento [bom, de qualquer maneira, com ou sem trabalho, eu iria no festival. Mas isso não importa, hehehe...].

OBSERVAÇÃO: Comprei [MAIS!] um livro do Bukowski [Notas de um Velho Safado], além de um do Nietzsche [Além do Bem e do Mal]. Ler o “Dirty Old Man” me faz bem, muito bem. Rola aquela sensação de identificação e tal... O cara fala muitas coisas as quais eu ainda TENTO [mal e porcamente, como diria a minha mãe] explanar. Tudo lá, tudo lá. Já o Nietzsche é leitura bem mais complicada, “tou” remando pra ler o livro.
Mas, sem mais delongas, as perguntas feitas ao Gustavo Mini, via email:


1 - Qual os efeitos, para a banda, de apresentações em festivais? Novos contatos, divulgação, histórias engraçadas, como essas experiências já influíram (e influem) na Walverdes?

Quando são bem organizados e estruturados, festivais são ótimos porque o público dos festivais geralmente é um público "de festival", disposto a ver várias bandas diferentes. A soma é maior do que as partes e isso é bom para as bandas. Também é sempre uma forma de intercâmbio com outras bandas, produtores e jornalistas. Os festivais foram fundamentais para o crescimento do mercado independente nos últimos de anos, mas também precisam ser bem estruturados. Costumamos ser criteriosos na escolha dos festivais onde tocamos, porque tem muita roubada. O mínimo que um festival precisa oferecer é uma boa estrutura, com som de qualidade, acomodação pra banda e pro público. Também é preciso uma noção de curadoria, saber escolher e misturar as bandas bem.


2 – As iniciativas (festivais) no interior do RS, como o Texugo Rock Festival respondem à demanda do público por música? Os festivais gaúchos "ficam devendo" em alguma coisa para os eventos no resto do país?

O Rio Grande do Sul chegou atrasado nessa história de festival. Mas muito é porque em outras cidades os festivais aconteceram pra preencher uma lacuna que especialmente em Porto Alegre não existe: falta de lugar e de público. Bem ou mal, aqui sempre teve um público interessado e locais para tocar, por mais toscos que fossem. Agora estamos entrando com a cultura dos festivais, que é uma forma de interação diferente entre bandas e público mas que aos poucos parece estar pegando.


3 – Na opinião de vocês, qual é o papel do público em uma apresentação? A música da Walverdes pode ser definida como algo bastante "energético", principalmente ao vivo. Como encaram as diferentes reações das pessoas, umas animadas ao som da música, e outras mais observadoras?

Em 15 anos a gente aprendeu a lidar com todo tipo de público. É muito melhor pegar uma platéia quente, que vibra e não fica parada, mas sendo de Porto Alegre aprendemos que temos que nos preocupar mesmo é com a energia em cima do palco, não temos vocação pra animadores. Procuramos nos divertir e fazer um show intenso. O resto é lucro...


Deixando o lado jornalista de lado, uma pergunta de guitarrista: Quais os pedais que tu usa? (Se não quiser tocar no assunto entendo. O Josh Homme, por exemplo, é um que não revela o set de pedais por nada...).

Há alguns anos eu tenho usado só uma distorção T-Bone da Danelectro. Ela é ótima, mas estou cansando e pensando em mudar.

24 de mai de 2008

A História em seu devido lugar

Garotos descontentes com a aula de biologia [abração pra profª Ilaine!] e com colegas chatos não podiam se manifestar. Criam os Comentários Escritos que, até hoje, sofrendo algumas alterações, mostra opiniões explosivas, humor, SARCASMO e simplesmente a VERDADE ABSOLUTA sobre os fatos! Leia o CE [Marca Registrada] e faça um bem pra você mesmo! Rá!

Comentários Escritos [vulgo CE]. Esse nome tem uma história... Eu poderia simplesmente dizer “eu cunhei o termo”, mas as coisas não são tão simples de explicar, assim. Nem seria totalmente verdadeiro.

Como esta[va] escrito na descrição do blog, tudo começou nas aulas de biologia do Ensino Médio, lá nos idos de 2003 [saudoso, mas nem tanto, hahahaha!!]. O Eduardo, o Rodrigo e Eu começamos, meio que de frescura, a rabiscar uns comentários sobre as aulas numas folhas arrancadas dos cadernos. Éramos, como viemos a ser definidos por uma professora do segundo ano do Ensino Médio [heheehehe!!!], muito “auto suficientes”. Não nos misturávamos ao resto da turma, e nem tínhamos essa pretensão.

Sobrava pra todo mundo: a[s] colega[s] gostosa[s], a[s] professora[s] chata[s], a[s] morte[s... OPS!! Sorry, erramos. Chega de tanto “s”.] do Charles Bronson e, também, para os colegas chatos [esse tipo de gente que também me incomoda muito lá “Numa Grande Instituição Jesuíta de Ensino 'Superior' do Vale dos Sinos”]. Quando algum colega notava [e tentava ler] nossos escritos, não entendia nada, geralmente. Nós também não fazíamos questão que alguém entendesse.

Surgiu, então, a idéia: batizar o nosso “folhetim” [quase diário, hehehehe] de Comentários Escritos ou, como também foi descrito diversas vezes, “Koment... Escr...”, “CE”.

Em 2006, terminado o Ensino Médio – onde nós três nos conhecemos e formamos o CE – veio o que me parece uma evolução natural para o CE se transformar num blog [coletivo]. Desde então passamos por uns três endereços [esse, depois esse e, por último, o Blogspot mesmo...]. Não sei como o Blogspot ainda aguenta esse blog... Os blogs do Uol e do Terra “pediram penico”, hahaha!!

Depois de um bom período em que o Rodrigo e Eu nos revezamos nas postagens, tendo o Sr. Eduardo como participante esparso, assumi o leme dessa barca. Após esse momento, há mais ou menos 1 [Hum] ano, só eu posto nessa querida bagaça. Com isso, o blog tomou um tom muito mais pessoal. Um exemplo disso é que surgiram até os “Rascunhos [Pseudo] Poéticos”, coisa até então improvável nos meus escritos, tão cáusticos – mas eu não larguei mão dos comentários ácidos, só estou dando vazão à outros segmentos criativos, hehe!

Pois bem, como ato final nesse processo, escrevo esta breve história, pra deixar marcada a história disso tudo. A partir de agora, teremos mudanças na página do blog, e as tais “características pessoais” serão assumidas integralmente. Obrigado à todos que fizeram o CE chegar até aqui. Daqui em diante eu assumo, oficialmente, as pontas por aqui!

Nos próximos dias, pra coroar as mudanças, postarei minha 2ª [eu disse SEGUNDA!!] entrevista feita como jornalista[-estudante]. Quatro perguntinhas feitas para o Mini, da Walverdes, banda da qual eu gosto “pacaraio”.

Por hoje é só, pessoal.

23 de mai de 2008

Esses versos aí embaixo...

... Agrupados sob o título "Mais um texto sobre o Dia das Mães", formam MEU primeiro texto publicado! Rá!

Acontece que eu fui um dos colaboradores na revista "Tá Combinado?" [blog da revista aqui]. Engraçado é que a revista [que tem meu texto publicado] circula lááááá em Uruguaiana, uma cidade da qual eu só conheço "de ouvir falar".

A responsável pela revista, que é de lá, é a Bibiana, colega que mereceria um parágrafo a parte, mas deixa quieto, por enquanto...

O fato, no momento, é que eu estou contente [feliz, alegre?! Tão me achando com cara de quê?! Esses são adjetivos que eu não atiro por aí, "a 3 por 2", heheehe!] por este fato [ter um texto numa publicação].

Acho que, sendo os textos uma expressão que busca tocar "o emocional" das pessoas, cumpri meu papel com esse texto. Uma colega de trabalho, que é mãe, se emocionou ao ler o que eu escrevi.

Quem diria, um andróide emocionando as pessoas, hein?! Até me assusto com isso.

Mais um texto sobre o Dia das Mães

Ora, mãe, eu poderia vir aqui e dizer – como todo mundo faz nessa época – que eu te adoro, tu é ótima e tal, e que todas as mães são essenciais na vida dos filhos.

Poderia falar o quão desnutrido eu poderia ser se não fosse tua comidinha feita de forma especial e com sabor inconfundível.

Nem vou falar das madrugadas em claro – Ah, as madrugadas em claro! – em que tu sofria junto comigo, por causa da MINHA rinite alérgica ou de qualquer outra doença que faz a gente acordar de madrugada pra tomar banho frio.

Nada disso. Na verdade, nessa data querida, vim denunciar-te! Tu e as outras!

Vocês têm vantagens que nós, filhos, não temos. Sabem o que vai acontecer e, quando não sabem, fazem acontecer.

Quando tu me diz “Leva o teu casaco” e eu vejo o sol castigar o dia lá fora.

É líquido e certo, pode saber, o tempo muda assim que eu coloco os pés na rua!

Se eu chego em casa, a passos leves, de madrugada, e tu nem vê como fui dormir, mesmo assim, no outro dia, tu consegue fazer um relatório minucioso da minha bebedeira e da minha chegada em casa.

Você, e todas as mães têm uma linha direta com o “Cara Lá de Cima”. Eu sei! Vocês tem informações privilegiadas e, quando isso não basta, vêem suas sentenças se tornarem realidade, com certeza por interferência “Dele”.


Mas seguinte, apesar de tudo isso, valeu.

Valeu por utilizar esses dons em favor de nós, pobres e desfavorecidos filhos.

16 de mai de 2008

Jornalismo.Rock.Chinelagem

Yeah! Neste sábado [popular AMANHÃ!] vou comparecer ao Texugo Rock Festival, em Sapucaia.


Pra começar a jornada da melhor maneira possível, com “emoções-mil”, [alguns dos] meus amigos acabaram desistindo de me acompanhar a Sapucaia, por motivos que eu não tenho a MENOR idéia.


Somando-se a isso, temos o “interessante” fato de que esta “Testemunha Ocular da Notícia” não [eu disse NÃO!!] faz a mínima idéia de como se dirigir ao local do festival, que terá bandas “fodonas pra caralho” como Zefirina Bomba, Walverdes e Laranja Freak! Alguém aí sabe como chegar às redondezas da prefeitura de Sapucaia?!



O que tem de jornalismo nisso tudo, Thiago? Sim, além de ir até lá, ver as bandas e encher a cara, vou fazer uma matéria para uma das disciplinas que curso lá “Numa Grande Instituição de Ensino 'Superior' do Vale dos Sinos”.


Sim! Mas, infelizmente, tenho certeza de quê não vou poder dar vazão à toda a minha veia “GONZO” de jornalismo. Mas sempre há alguma brecha editorial, e a chinelagem transpassará opiniões alheias e professores amantes do “lead telegráfico”!


E ainda tem a AdeNóide, tocando em São Leopoldo na mesma noite. Infelizmente não vou poder acompanhar a apresentação dos caras dessa vez, como já é de costume...



Então... Até lá, pra quem se aventurar pelo lugar. E me desejem sorte, afinal, dessa vez, não pode acontecer comigo aquele tradicional “não lembro de 90% da noite”!!!


Heheheeheheehe.MUDANDO DE ASSUNTO: Em breve, escrito por este que aqui destila sarcasmo e palavras bonitas, um “Tratado sobre Racionalidade no Ambiente de Trabalho”. Aguardem...

14 de mai de 2008

Amigos, força do hábito...


"Esporte de jornalista é procurar
crase em "a" alheio!"

Olha só, no que resulta uma caminhada básica antes de ir pro estágio. Paranóias gramaticais.

8 de mai de 2008

Da série "Frases Acachapantes":

“A burrice só mata pessoas inteligentes. Os idiotas são imunes
ao próprio veneno.”
.
Afirmação construída após muita observação sociológica, embasada em diferentes cenários sociais e blá blá blá... E de uma semana de trabalho estressante. Sim, o trabalho, que há seis meses atrás servia quase [QUASE!!] como um refúgio, um elo de ligação com o mundo real, e tal..
.
"Cerveja como são as coisas..."

30 de abr de 2008

Um mural eletrônico e uma vida embalada pelo Rock.

Nessa sexta-feira tem show da MELHOR BANDA DA NOSSA PROVÍNCIA, a Damn Laser Vampires na capital estadual. Eles se apresentam na festa Laika Teenspirit, no clube Laika [mas que nome criativo pra festa, hein?! Hehehe].


A DLVampires teve seu disco, “Gotham Beggars Syndicate” [que teve uma 1ª edição em 2006 – se não me engano!], relançado nos EUA e Canadá, com novo projeto gráfico e algumas “bônus tracks”. Misturando punk, psychobilly, polka [!!!] com pitadas de caveiras e morcegos da Transilvânia, eles fazem o que existe de mais original no Rio Grande do Sul, assolado pelos indies chatos e mod’s [também muito chatos...].


Além do lançamento na América Anglo-saxônica, eles venderão o primeiro lote do CD [módicos 15 pilas!!], que chega este mês, por encomenda via email. Eu, como CARA ESPERTO já reservei 2 [eu disse DOIS!!] discos... Um é pra mim, logicamente. Ainda não decidi o que fazer com o outro... Quem sabe sorteá-lo entre o pessoal do blog?! Rá!


Dêem uma olhada no início do release feito pela gravadora que está lançando a banda:


Se Quentin Tarantino fosse fazer um filme baseado num romance de Bram Stoker, Gotham Beggars Syndicate – a estréia dos Damn Laser Vampires nos EUA – seria a trilha sonora.”


Além deles, tocam as bandas Spave Rave [da qual eu já falei aqui no blog] e Tom Enola [que eu já ouvi falar, mas não lembro de nada, hehehe].

O serviço da festa:


Laika: rua Santana, 375
Shows:
Space Rave, Tom Enola e DAMN LASER VAMPIRES
Discotecagem:
Roberta Cardoso, Doktor Bitch e Manoela Oliveira
Ingressos:
10 pilas [garotas pagam R$6,00 até a 1h]

That's All, Folks [... problemas na postagem. De novo]!!

25 de abr de 2008

Pródigo crítico musical, eu sou...

Bom, eu pretendia fazer, esta semana, um relato “jornalístico” do show de lançamento do single virtual da AdeNóide, que contou – também – com as apresentações d'Os Vespas e d'Os Incríveis Balões de Gás. O show foi no Hangar e tal, na última sexta...

Devido “forças ocultas” [um belo porre, pra variar], infelizmente, não poderei discorrer sobre o assunto da forma adequada. Mas posso tecer alguns comentários.

*O Grei é o “guitar-hero” de Gravataí. O cara toca bem e tem presença de palco, algo muito importante num guitarrista de rock, afinal de contas... E a banda é boa, o que é o principal.
*Infelizmente não pude ver o que, segundo fonte segura (diria seguríssima) foi o último show dos Balões de Gás... Isso não é legal. Se bem que eles já tinham pisado na bola desde que pararam de tocar a música mais foda deles, “As Incríveis Peripécias Circenses de Keith Moon”!
*A AdeNóide é uma banda punk. E não devemos nos esquecer disso!
Divulgação tosca é a alma do negócio (... em Gravataí city)! O velho e tosco cartaz colado nas paradas de ônibus é FUNDAMENTAL pra atrair público!
*A caipirinha do Hangar 18 é uma bomba de efeito retardado. Ou eu sou um retardado de efeito bombástico...

Sem mais, fecho meus comentários sobre o assunto... Falando sobre o fim de semana que se aproxima, amanhã [sábado] tem show da WALVERDES [a partir da meia-noite] no Bar do Morro, em Sapiranga... Se alguém estiver interessado em formar a “caravana da alegria” até o referido show, me avisem!

18 de abr de 2008

Leio, logo COMENTO!!

... Dá pra entender ou querem que eu desenhe?!

[Uma campanha que objetiva estimular os comentários sobre os textos dessa pocilga!]

17 de abr de 2008

Poutz, sem título criativo, hoje...

Bem, amigos dos Comentários Escritos!! Estou me preparando pra “virar” locutor esportivo, hahahaha!! Mentirinha... Só um irônico e “parafraseante” início de texto.

.

Temos novidades no campo musical em Gravataí [MINHA – possessivamente falando – cidade!]. Os amigos da AdeNóide lançaram um “single virtual” essa semana. Nesses tempos de downloads e o escambau, o suporte físico realmente é discutível, se não desnecessário. Está na página da banda no site Tramavirtual, disponível para ser baixada a música “Fantasia Desbotada”. Segundo o release dos guris “um power pop que conta com a produção de Alexandre Birck, da grande Graforréia Xilarmônica”. Já na minha opinião, um passo a frente na sonoridade da banda, explorando recursos diferenciados em relação ao seu começo. Como sempre, vale conferir!

.

E pra “lançar” o single, eles vão fazer show na nossa cidade, depois de um ano [... e três meses, eu acho] da última vez que promoveram um evento em sua cidade de origem.

.

Será nessa sexta, dia18, Hangar 18, que fica no cruzamento entre a RS-118 e o viaduto da Av. Dorival de Oliveira entre as paradas 74 e 75 [além disso, o Hangar fica confortavelmente PERTO da minha casa, um grande ponto de referência em Gravataí! Adoro isso, hahaha!!]. Farão barulho, na mesma noite, as bandas Os Incríveis Balões de Gás e Os Vespas.

.

Ótima pedida pra encher a cara ouvir um som legal no “começo do fim”... de semana.

.

E, nos próximos dias, teremos a “estréia” [praticamente um nascimento em um mundo apocalíptico, prestes a acabar, mas tudo bem...] do novo segmento deste blog – que já foi desacreditado pelos médicos já que, do primeiro semestre deste ano ele não passa! -, a seção “Frases Acachapantes”!!

.

[Na verdade, na minha última postagem tem, dentro do título, um belo exemplo das minhas frases, que é “Minha vida é minha matéria-prima”. Por favor, para encaminhar prêmios, honrarias, propostas publicitárias ou pedidos para uso de propriedade intelectual, contatem-me! Hehehehehe... Sou o cúmulo da humildade [tudo pelo humor, pessoal!].

.

Neste espaço colocarei todo [eu disse TODO!!] meu potencial para criação de slogans e frases de efeito em prática. Preparem-se, o mundo não será o mesmo [a não ser, é claro, que bata a preguiça e eu fique dois meses sem atualizar essa bagaça, novamente, hehehe...]!

14 de abr de 2008

Da série "minha vida é minha matéria-prima"...

... Ou "ligue o foda-se e seja um escritor visceral". Esse texto [aí embaixo] é mais uma das minha incursões em "locais obscuros" da minha cabecinha insana. Eu tinha toda uma explicação bonita e bem articulada pra apresentá-lo, mas esqueci quase tudo.

Só sei que acho ele muito bom [estéticamente falando], apesar de qualquer coisa!

Ahhhh, claro, faz MUITO TEMPO que não posto nada... Bom, acho que isso vai continuar "maisomenos" nesse rumo. Tou tentando sepultar esse blog, por que até já fiz outro, só falta fazer um funeral decente pra esse... E antes disso, nada de blog novo.



Boa imagem pra ilustrar o momento [tanto a imagem em si quanto a banda evocada - no caso, o radiohead, estão na minha cabeça ultimamente]... Thom York e cia. são os caras... E o disco novo também é "fodapacaraio".

E sim, eu sei que Radiohead é meio [só meio??! Hahaha.] depressivo... E eu curto esse tipo de som. Altamente contemplativo.

Cabeça

Poder-se-ia dizer que isso está no meu coração
Mas não
Não, não e não.

Os canastrões falariam isto
Esses clichês tão chicletudos

O coração não tem nada a ver
Ele é só uma bomba, impulsionando sangue pelo meu corpo.
E o meu sangue nem é, assim, muito bom

Com todas as minhas alergias & gorduras & substâncias tóxicas
& déficits variados de vitaminas & sais minerais
Com certeza não é muito bom

Não é meu coração quem pensa
Está na minha cabeça, isso sim
E não sai dela

De manhã, de tarde
Meu cérebro se [des]concentra em[/ao] pensar sobre isso

Ao contrário do Cobain
Eu não te faria uma Caixa em Forma de Coração
No máximo um Desenho Tosco em Forma de Cérebro

Simbolizando todos os meus neurônios
Ligados em Ti
Pensando o que eu NÃO tenho habilidade
de falar

Meu coração não bate por ti
Eu não tenho coração, sou um andróide
[Diriam Os replicantes que
“Andróides Sonham com Guitarras Elétricas”, mas...]
Mas todos os meus raciocínios e cálculos estão ocupados contigo

Desde a hora que eu acordo, lutando pra não me atrasar
Até entrar no ônibus, lá pelas Dez & Meia
E entre esses dois horários

E sim, foi em um caminho
Caminhos estes que um dia iluminaram [o Jack] Kerouac
Que agora fazem diferente os meus dias

E as minhas colegas de trabalho podem confirmar
A cara boba e os risos anormais
De um cara que recém chega ao trabalho
E que, geralmente, não se dá ao trabalho de rir

... E enquanto eu devoro uma caixa de Bis
[foda-se o merchandising!]

Eu digo [dizia, na verdade
Por que isso começou a ser escrito
faz um tempinho, já]:
É sábado! Aleluia!
É sábado de aleluia

As coisas podem/vão ser legais
2008 pode/vai ser tão memorável quanto qualquer
dia da minha infância

Eu sei disso.
Ou melhor
Eu quero crer nisso

Muito embora eu saiba
Que não sei expressar isso
[Direito]

“Oi, desculpa atrapalhar tua leitura...”
Mas já acabou [esse texto].

29 de fev de 2008

Esse negócio de mostrar os dentes

Tem gente que chama de sorriso... Pra mim é mostra dos dentes, simplesmente. Parece coisa de louco ou maníaco, forçar os lábios pra mostrar os dentes [brancos?!], a gengiva vermelha. Ainda mais pra sair em fotos, mostrando felicidade e tal [claro, pra alguém que fica apavorado e desajeitado em frente à uma câmera fotográfica, qualquer pose fotográfica parece coisa de outro mundo, haha!].
.
Um dia desses estava vendo um álbum de fotos de gente que leva uma vida legal, psicologicamente [não se confrontaram - ainda, pelo menos - com os dilemas filosóficos da vida e tal, essas coisas de vagabundo...]. Como eu tive acesso a esse álbum não vem ao caso, para o meu bem [acredite, para o seu também], juridicamente falando, eu acho...
.
Era uma família [de acordo com as anotações referentes às fotos], mas não sei ao certo "quem era quem" ali. Da tal família conhecia somente uma pessoa, uma menina muito bonita [a “filha do meio”, pelo que me pareceu], cabelos longos e tal, sorriso perfeito [olha o sorriso aí, de novo!], corpo bem feito, delineado. Ahhh, e tocar aquele corpo seria divino, deus do céu! Não sei se responderia pelos meus atos. Manter a educação e uma certa "distância" eram uma dificuldade pra mim, na época em que tinha contato com essa moça. Mas isso foi na minha juventude... Hoje sou um [espírito?!] velho.
.
Vamos parar por aqui, a coisa tá ficando comprometedora... O que as pessoas podem pensar?! Que eu sou sentimental?! Nã-nã-ni-nã-não, eu sou feito de aço. Ninguém me derruba, nada me comove. "This is Spartaaa!!" Viu o filme ["300"]?! Muito afudê!! Lá é Esparta, mas aqui não deixa de ser, também, de vez em quando.
.
Mas refletindo sobre as gengivas a mostra... Que hábito esquisito não?! Eu acho isso, pelo menos. Deve ser por que eu não sei sorrir... Sabe como é, alguém como eu, feito de aço não deve sorrir. Em Esparta as pessoas não sorriam... Por aqui elas sorriem bem pouco, também. E eu, que motivos teria pra sorrir?! Casa com ar-condicionado, férias no exterior, aventuras amorosas e prazeres efêmeros?! Não meu amigo... Eu sou feito de aço.
.
Gasto meus recursos em manutenção. E acredite, a manutenção de uma alma de aço é pesada, tanto quanto chumbo. E, assim como em um motor [e numa relação sexual, dizem, hahaha!!], o que importa é lubrificação! É essencial... Só que, no caso de pessoas de aço, essa "lubrificação" só se dá através de alguns líquidos muito específicos, em quantidades geralmente não muito saudáveis à seres humanos [uáhahahaahahaha!!]. Destilados, como a boa, inodora e [quase] insípida vodka, e fermentados - em especial a cerveja gelada e vinho tinto...
.
Outro ponto que eu considero doido é aquele negócio de forçar o sorriso pra sair na foto. Pessoa paradinha, frente à câmera, esperando o flash. A naturalidade não existe [e, afinal, ela importa?!]. E olha quem falando... Um cara feito de aço!! Muito irônico. Serei eu humano e os outros de aço?! Vai saber... Deve ser vaidade das pessoas, só isso. Ou Então exercício. Sim, devem fazer isso pra exercitar os músculos faciais, com toda a certeza.
.
Chega. Abstraí demais, já.
.
*Esse texto é um misto de narrativa, dissertação, conto, invenção. Verdades e mentiras. Mais ou menos isso.
.
* [2] Problemas de formatação com o blog...